24 de abril de 2014 - h

Notícias


Dr. Deraldo cordeliza agradecimento por homenagem

Texto do homenageado diz que o acontecido foi “bom demais”


27-10-2012 17h41m

Dr. Deraldo cordeliza agradecimento por homenagem

Postagem original em 16/02/2011 02:08 - por: Roberto Martins

 
Dr. Deraldo Campos Portela, homenageado pela Prefeitura Municipal e pelo Movimento Cultural Viva Irará, durante os Festejos Populares de Irará 2011, escreveu um texto de agradecimento pelas congratulações à sua pessoa.

O texto foi escrito em forma de versos, como se fosse um cordel, contendo sete estrofes. Dr. Deraldo tropeça na métrica. Ele escreveu estrofes em tamanhos variados, com oito versos, nove, dez e até doze. Entretanto, em boa parte do texto, saiu-se bem na rima.

A passagem na qual ele, torcedor rubro-negro, narra a suposição de que o artista João Martins o teria retratado vestido com a camisa do Bahia, é digna do talento dos grandes cordelistas e seus causos.

A história contada por Dr. Deraldo descreve o evento realizado pelo Viva Irará  em sua homenagem. Nela traços de humildade, respeito e dignidade de uma pessoa que é referência na história, na saúde, na cultura, no esporte, no social... e na memória iraraense.

Doutor Deraldo é alguém que faz por merecer o título de “doutor” em tudo que participa, como disse Luciano Campos. Ou “simplesmente doutor”, como pintou e sintetizou João Martins. E se continuar escrevendo assim, em breve, “o doutor cordelista”, irmão de Angélica, artista plástica.   

Sugestão da matéria e envio de texto de Dr. Deraldo: Marcilio Cerqueira
Foto: Kau Santana - junto a fragmento do texto escrito por Dr. Deraldo

- Leia Abaixo a integra do Texto Versificado escrito por Deraldo Campos Portela

A Homenagem, 

Viva Irará, 27/01/11

Na Festa de Fevereiro 
Tem que ter uma homenagem
Este ano a medicina 
Foi quem levou a vantagem 
E entre os nossos doutores 
Pra evitar confusão 
Escolhemos o mais velho
Pra receber louvação

Filarmônica, boa Música
Pisadinha, samba forte
D.V.D., fotografias
Festejos de toda sorte
Quatro salas ocupadas 
No Casarão dos Sant’Anas 
Numa delas um telão 
Com muita gente bacana
Contando belas histórias 
Com simpatia e afeição 
Proibido falar mal 
A noite é de louvação

Muita gente que eu estimo 
Veio ficar ao meu lado 
O Prefeito da cidade 
Também deu o seu recado 
Beijos abraços sorrisos
Poesia, badalação
Até retrato pintado 
Por nosso artista João

Sobre o retrato entretanto
Apareceu uma estória 
Foram dizer ao doutor 
Que é torcedor do Vitória
“João pintou seu retrato 
Com tinta de picardia 
Porque vestiu o senhor 
Com a camisa do Bahia”. 

O doutor levou um susto 
Mas foi reparar direito
A camisa tricolor 
Tinha um escudo no peito 
Um escudo diferente 
Um escudo do Cruzeiro 
Que era um time local 
Onde ele foi presidente 
E o resultado final 
Foi um doutor sorridente

Depois a coisa esquentou 
A banda virou charanga
A festa virou festança 
Com muitos comes e bebes 
Muita gente enchendo a pança 
o doutor deslumbrado 
Mastigando ninguém viu
Ele falou que a barriga 
tava cheia de elogio 

Um amigo então lhe disse
-“Doutor, você se embora
dormir seu sono em paz
Quando acorda verifique 
se tudo não foi um sonho
  um sonho, meu rapaz
E se foi não fique triste
Mesmo assim foi bom demais”

Deraldo Campos Portela.